TRANSLATE

quinta-feira, 31 de julho de 2014

CHARGE ÍNDIOS ALDEIA MARACANÃ

ÍNDIOS ENTRAM NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA


Organizada por uma belga, a abertura da Copa do Mundo tentou consagrar o clichê do índio feliz e respeitado. (o que definitivamente, não acontece no Brasil)
Remando em uma canoa, homenageado e aplaudido, o índio mostrado na solenidade não vive a mesma realidade dos grupos indígenas da antiga Aldeia Maracanã.




                                                                                     Foto: Reprodução

 

Após sua remoção forçada, do Museu do Índio, índios de diferentes etnias foram levados para um abrigo improvisado em contêineres em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. 

Segundo o Cacique Tucano, que faz parte do grupo que está no local, o governo incluiu os moradores do abrigo no programa Minha Casa, Minha Vida.

"O governo prometeu criar uma nova aldeia, mas não teve tempo hábil. Agora conseguimos [ser incluídos] no Minha Casa, Minha Vida. Acredito que até agosto vamos para as casas”, Diz o Cacique.


Apartamento do Minha Casa Minha Vida é pente e espelho do governo. É isso que dão para os indígenas há 514 anos. O que a gente quer é a universidade indígena, não só no prédio, mas no terreno de 14,3 mil metros do antigo museu, com uma administração pensada e gerida por indígenas”, argumentou o líder Urutau Guajajara, que participava da ocupação. 

Em uma universidade, cabem muitos centros culturais, mas, em um centro cultural, não cabe uma universidade”.


De acordo com o decreto, a área deveria ser destinada à criação de um “Centro de Referência da Cultura dos Povos Indígenas/Universidade Indígena, para o desenvolvimento de atividades culturais’’.

A criação de um centro cultural na área foi feita por decreto do então governador do Rio Sérgio Cabral publicado em dezembro de 2013, logo depois de mais uma reintegração de posse feita pela polícia no local.

Os índios que aceitaram o acordo com o governo dizem que a secretaria estadual prometeu que eles participariam da gestão e que o espaço seria entregue em abril de 2016. (é esperar pra ver)




ENTENDA O CASO:


Em 2012, o governo do Estado anunciou a demolição do prédio do antigo Museu do índio.
A propriedade, que fica nas imediações da Aldeia Maracanã, ocupa uma área de cerca de mil e seiscentos metros quadrados e, na época, já contabilizava 34 anos de INATIVIDADE.
A decisão de Cabral foi anunciada visando à construção de um estacionamento para a Copa do Mundo de 2014.


 
                                                                                  Foto: Reprodução


Na época, a Fifa chegou a desmentir que a demolição do prédio fosse uma exigência para a realização do evento.
No terreno, viviam índios de diferentes etnias. 
Com a medida, eles foram expulsos do terreno com força policial. O grupo ofereceu resistência à remoção e fez protestos por toda a cidade. 

Ativistas pediram à Organização das Nações Unidas que investigasse possíveis abusos da força policial e violência, devido ao uso de balas de borracha e spray de pimenta.



                                                                                        Foto Reprodução


Contudo, o estacionamento foi construído no Estádio de Atletismo Célio de Barros, único local adequado no Rio de Janeiro para o treinamento de todas as modalidades de atletismo das Olimpíadas de 2016.
O Estádio foi fechado em janeiro de 2013, sem aviso prévio aos atletas e treinadores.

Para a Copa das Confederações, a pista foi asfaltada, deixando esportistas brasileiros sem lugar apropriado para treinar desde então. O desfecho não agradou a maioria dos índios. 



                                                                                  Foto: Reprodução


Uma parte do grupo decidiu não resistir ao Batalhão de Choque e foi removida para o Hotel Acolhedor Santana 2, no Centro, e depois para um alojamento construído pelo Estado em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade. 

Os que foram removidos forçadamente também foram levados para o novo abrigo.

O local onde foram construídos os alojamentos abriga a antiga colônia de Curupaiti, destinada aos portadores de hanseníase. 



                                                                                    Foto: Reprodução


Na época da instauração do novo abrigo para índios, o terreno era ocupado por cerca de 2 mil pessoas, sendo 250 hansenianos. Segundo o governo, a medida seria provisória, mas o grupo está no local desde o dia 22 de março de 2013.

Além do bairro da Zona Oeste, eles tinham a opção de escolher um espaço em Bonsucesso ou ao lado do galpão da empreiteira Odebrecht, na Avenida Visconde de Niterói.
Os alojamentos para residência temporária contam com beliches, contêiner cozinha e contêiner banheiro, sendo um feminino e um masculino.




SAIBA UM POUCO SOBRE ALGUNS ÍNDIOS:


A educadora, escritora e artista plástica Vângri Kaingáng, autora de quatro livros infanto-juvenis, ela se divide entre a vontade de voltar para a aldeia e a de continuar no Rio:
Por mim, eu ficava lá com o meu filho, mas aqui está a minha luta para a divulgação da nossa cultura.
Eu dediquei anos da minha vida só para isso
”. 



                                 Vângri Kaingáng, educadora, escritora e artísta plástica



Um dos seus sonhos é ajudar a desmistificar a imagem dos povos indígenas: “As pessoas não aceitam que o índio pode ser articulado e falar melhor do que elas. 

Não aceitam que ele possa ter um bom padrão de vida e continuar sendo índio. Quinhentos anos depois, ainda acham que só temos que ficar na mata pelados. Quando me perguntam se sou índia mesmo, respondo na minha língua”.



                     Índio Pacarí Pataxó, Ex-residente da Aldeia Maracanã


Ganhando a vida vendendo instrumentos de sopro – uma mistura de flauta e apito de bambu – por R$ 5 ou R$ 10, Pacari Pataxó, de 31 anos, planeja terminar o ensino médio agora que vai voltar a morar perto do centro. 

O objetivo é cursar engenharia florestal e voltar para a sua aldeia, que fica no Parque Nacional Monte Pascoal, primeira faixa de terra avistada pelos portugueses quando chegaram à América.

Antes, havia a ideia de que os índios brigavam muito. Aqui mostramos que é possível a união, e que a briga tem que ser por demarcações, pela nossa cultura, por saúde e educação nas aldeias”. Diz Pacari.





Segue a charge que fiz sobre o tema:




Precisamos valorizar e cultivar as nossas tradições e a Cultura do Brasil.

Só assim seremos um País Soberano e Justo !





quarta-feira, 23 de julho de 2014

ARGINE - ANIMAÇÃO

O PODER DA LEITURA.

Argine é um belo curta de animação produzido por Julia Siméon com música feita por ela mesma e Pauline Meguerditchian.


É a história de uma menina que fica encantada com um livro e decide dar asas a sua criatividade e imaginação. Ele retrata perfeitamente o PODER da leitura.



Argine - Animação produzida por Julia Siméon (2008)



Este vídeo reforça o que apontam pesquisas do mundo todo, que a criança que lê e tem contato com a literatura desde cedo, principalmente se for com o acompanhamento e incentivo dos pais, é beneficiada em diversos sentidos: 

ela aprende melhor, pronuncia melhor as palavras e se comunica melhor de forma geral.


Por meio da leitura, a criança desenvolve a criatividade, a imaginação e adquire cultura, conhecimentos e valores. Ler é um hábito poderoso que nos faz conhecer mundos, culturas e ideias.


A leitura frequente ajuda a criar familiaridade com o mundo da escrita. 

A proximidade com o mundo da escrita, por sua vez, facilita a alfabetização e ajuda em todas as disciplinas, já que o principal suporte para o aprendizado na escola é o livro didático.


Ler também é importante porque ajuda a fixar a grafia correta das palavras. Evitando aqueles famosos e TERRÍVEIS vícios de linguagem e abreviações que frequentemente vemos na internet.


Quem é acostumado à leitura desde criança se torna muito mais preparado para os estudos, para o trabalho e para a vida, o contato com os livros pode mudar o seu futuro e o futuro dos seus filhos.


Portanto, crie o hábito da leitura, leia para você e para os pequenos, conte histórias, compre gibis e livros para incentivar a leitura nas crianças, leve-as a uma biblioteca e mostre a elas o fantástico mundo da leitura.

Veja o vídeo.











sexta-feira, 18 de julho de 2014

NOVAS MUDANÇAS EM HERÓIS DA MARVEL

A Marvel anunciou mais uma de suas tentativas para diversificar seus personagens e o público.

Após revelar que Thor será uma mulher, a empresa agora terá um ícone nacional negro: o Capitão América.





Por enquanto, as mudanças nos dois personagens, Thor e Capitão América, vão se limitar às páginas das revistas em quadrinhos da Marvel.

Chris Hemsworth vai continuar a interpretar um Thor masculino e Chris Evans um Capitão América branco, nas adaptações dos super-heróis para o cinema.


A informação foi divulgada através de um comunicado da Marvel no programa "The Colbert Report".

Segundo a empresa, o personagem Steve Rogers, principal encarnação do Capitão América, se aposentará e cederá o posto a Sam Wilson, seu braço direito.



Uma explicação de três páginas sobre a transformação foi publicada sob a manchete: "É hora de um Capitão América totalmente novo". A autoria da mudança é do roteirista e artista Rick Remender e do editor Tom Brevoort, ambos integrantes da equipe criativa envolvida no relançamento de vários dos mais populares heróis da Marvel.


O novo herói já fazia parte do quadro de atrações da empresa, conhecido como o Falcão. Ele foi criado em 1969, justamente para servir junto a Rogers. 

O personagem aparece em "Capitão América 2: O Soldado Invernal", interpretado pelo ator Anthony Mackie.


Quando Sam Wilson vestir o uniforme do Capitão América, ainda neste semestre, o personagem vai passar por mais do que uma mera mudança na cor de pele. Wilson vai abrir caminho para uma versão modificada do famoso uniforme do Capitão América, embora mantenha o característico escudo circular com uma estrela no meio, de acordo com Remender e Brevoort.


Mas o herói vai manter uma das principais característica de sua persona anterior, o Falcão: as asas retráteis que lhe permitem voar. 

O antigo Capitão América, Steve Rogers, vai continuar como um assessor estratégico de seu sucessor, disse a Marvel. 


Criado em 1941, o Capitão América foi concebido como herói americano em plena Segunda Guerra Mundial, e se tornou uma das figuras mais populares da Marvel na década de 1960.

Após uma série de personagens que substituem Steve Rogers (que também já morreu em diferentes séries), a empresa explicou que ele continuará vivo e será uma espécie de conselheiro para o amigo.



Capitão América da Série Truth: Red, White & Black



Em uma série paralela de 2003, "Truth: Red, White & Black", o personagem negro Isaiah Bradley passa por experimento semelhante ao de Steve Rogers.

Ele é injetado com um soro que o deixa com as capacidades físicas do personagem clássico. Com apenas sete edições, a série foi criada para o público negro, segundo a empresa.


Outro herói que terá mudanças é o Homem de Ferro, que ganhará uma nova armadura, se mudará para San Francisco e se chamará Homem de Ferro Superior.





Todos esses anúncios normalmente seriam guardados para a Comic-Con, onde os fãs de HQs se acostumaram a ouvir as notícias em primeira mão sobre seus heróis. Mas o mundo mudou, a Marvel mudou. 

Agora, é um negócio bilionário e a maior potência de Hollywood.


A Marvel sempre faz esse tipo de mudança faltando um mais ou menos um ano para o lançamento de algum filme referente ao herói alterado. 

Foi assim quando o Dr. Octopus assumiu o corpo de Peter Parker e virou o Homem-Aranha Superior, 14 meses antes da estreia de “O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro” nos cinemas.

E será assim com Capitão América, Thor e Homem de Ferro, o trio que estará em “Os Vingadores: A Era de Ultron”, ano que vem.





Pode apostar que, pouco antes do filme de Joss Whedon entrar em cartaz, em maio de 2015, Thor será homem de novo, Tony Stark estará voando por Nova York em sua armadura vermelha e amarela e Steve Rogers vestirá o uniforme bandeiroso que possui desde a Segunda Guerra Mundial.

A jogada de marketing da (editora) Marvel é compreensível. E não precisamos ir muito longe para analisar o porquê de tantas mudanças radicais em uma mesma semana.

Afinal, de acordo com os números divulgados pelo site “The Comics Chronicle”, atualmente o mercado de gibis nos Estados Unidos está vivendo uma grande crise.


Nem tudo que é sucesso de bilheteria nas telonas é sucesso de venda nas bancas e editoras.





quinta-feira, 17 de julho de 2014

THOR "VIRA" MULHER EM NOVA SÉRIE DE QUADRINHOS

Um dos maiores sucessos da Marvel, o deus do trovão Thor passará agora a ser uma mulher.

Baseado na mitologia nórdica, o personagem criado em 1962 ganhará uma versão feminina em uma nova revista, num esforço para atrair novos leitores e aumentar o apelo entre o público feminino.

“Não é She-Thor, não é Garota-Thor, não é Thorita. Ela é apenas,THOR.





A Marvel divulgou a novidade no programa "The View", através da atriz e apresentadora Whoopi Goldberg. Logo após, emitiu um comunicado oficial.

"A" Thor será a oitava protagonista feminina da Marvel.
A frase no martelo de Thor diz: 'ELE que empunhar o martelo, se for digno, terá o poder de Thor'. Bem, acho que também é hora de mudar esse texto.
 

O novo Thor continuará a tradição da editora de ter personagens femininas como Capitã Marvel, Tempestade e Viúva Negra, entre tantas outras.

E a nova Thor não é uma substituta temporária 

"Ela é a única Deusa do Trovão, e é digna do título! ", diz o editor Will Moss no comunicado.




Outro a se pronunciar foi o próprio autor, Jason Aaron. Além de participar do comunicado, ele é citado pelo editor executivo da Marvel Digital, Ryan Penagos.
O escritor reforça que a nova versão, definitiva, é Thor, e não um spin-off.

"THOR", a série de quadrinhos, será lançada em outubro, com ilustrações de Russell Dauterman ("Ciclope").

O mercado de gibis nos Estados Unidos está vivendo uma grande crise em 2014. 
Em junho, as 300 revistas mais vendidas do país somaram 6.4 milhões de unidades, uma queda de 8% em relação ao ano passado. Os números estão até mesmo abaixo das vendas de 2004, um dos piores anos para as HQs.

Investigando o TOP 10, o desespero da Marvel fica mais evidente e escancara o motivo das mudanças: a editora, que domina o mercado americano há mais de uma década, só conseguiu emplacar um título regular entre os mais vendidos, sendo ele “Amazing Spider-Man”, com a volta do Peter Parker que todos conhecemos depois do período negro como "Superior", a minissérie “Original Sin” é o outro título da Casa de Ideias na lista. E só.

Isso mostra como nem sempre o sucesso nos cinemas tem reflexos nos gibis. 
A Marvel hoje é poderosa no cinema, mas suas raízes no papel estão cada vez mais abandonadas criativamente, sujeitas a apelações de mudanças de gênero, sexo, raça, religião, enfim ... TUDO para poder atrair a atenção dos leitores.




quarta-feira, 16 de julho de 2014

terça-feira, 15 de julho de 2014

CHARGE DESMATAMENTO

É muito triste ver o que vem acontecendo com o meio ambiente e nossas florestas.


Aí vai um cartum sobre este tema.






sábado, 12 de julho de 2014

ILUSTRAÇÃO LOBO

Esta ilustração fiz em papel A3, com bico de pena e aquarela. 

A primeira imagem apenas com bico de pena e a segunda, com alguns "toques" aquarelados para deixar o desenho com mais sombra e volume.







quinta-feira, 10 de julho de 2014

OUT OF SIGHT - (LONGE DE VISTA)

Confira este fantástico Curta-Animado intitulado Out of Sight (2008), que significa “Longe de Vista”, foi produzido por estudantes da Universidade de Artes de Taiwan. 







O vídeo mostra a história de uma menina que precisa “se virar” após perder o cão-guia.  A garotinha “vê” o mundo a sua volta, se guiando por sons, cheiros e através do tato.


A perspectiva de visão que ela tem é o ponto alto da produção, pois mostra o lado imaginativo da pequena garota, que sem os "olhos do cão", percebe um mundo "diferente", estranho e divertido.


Compreender a perspectiva do "outro" é fundamental para a nossa convivência em sociedade e este vídeo retrata isso de forma brilhante.

Sem dúvida, uma obra de arte !









sábado, 5 de julho de 2014

ANIMAÇÃO FEITA COM AREIA

Kseniya Simonova é uma talentosa artista da Ucrânia, e vive na Criméia (Sul da Ucrânia). 

Ela tem uma técnica incrível de fazer animações usando apenas areia, e é claro, o seu talento "mágico".



                                                                           Foto: Reprodução


Em apenas oito minutos, Kseniya desenha com muita maestria sobre a areia, uma história inspirada na vida e morte de seu avô, que morreu na guerra em defesa da Ucrânia em 1943 contra a invasão das tropas de Hitler, quando foram mortos 11 milhões de seus compatriotas em uma população de 42 milhões.




                                                                        Foto: Reprodução


Por este motivo, no final da história, ela escreve em russo uma frase que significa "Você está sempre por perto", em homenagem ao avô e seu ato de heroísmo.

O vídeo a seguir mostra a performance que foi apresentada no festival "A Ucrânia tem talento" (Ukraine's Got Talent), onde ela foi vencedora. 



Clica aí para conferir esta belíssima apresentação.






Visite o site oficial desta talentosa e genial artista.

http://simonova.tv/